Benvindo, Bienvenido, Welcome, Bienvenue, Wilkomen, 歓迎, приветствовать, الترحيب, 歡迎, Benvenuto, Καλώς ήρθες

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Tendências: Internet, um direito!?

O resultado de uma pesquisa recentemente realizada não foi nada animador para as companhias aéreas que vinham investindo pesado em conectividade a bordo, simplesmente, a maioria dos passageiros prefere ficar sem acesso a internet durante algumas horas de voo a pagar pelos ainda caros serviços de telefonia/internet a bordo dos aviões.
Nos últimos anos, muitas companhias vinham investindo milhões de dólares em tecnologia para oferecer aos seus clientes o privilégio de acessar serviços de dados e voz enquanto cruzavam os céus de várias partes do mundo. Mais olhem o resultado desta pesquisa:
 
Passageiros aéreos não pagam mais para terem wi-fi, diz estudo Holiday Extras
Presstur 16-04-2013 (13h09) - www.presstur.com - Os passageiros das companhias aéreas não estão dispostos a pagar mais para terem acesso Wi-Fi a bordo de acordo com um estudo feito pela britânica Holiday Extras. De acordo com o inquérito feito pela empresa 84% de mais de 4.000 viajantes inquiridos disse que preferia não ter acesso Wi-Fi a pagar mais por este serviço, enquanto 25% disse que esse pagamento era inapropriado uma vez que "o acesso à internet está rapidamente a tornar-se um direito humano", diz o "Travelmole".
Muitos passageiros disseram ainda que preferiam ignorar os emails, e aproveitar para ver um filme ou saborear a refeição durante o voo. Para 62% dos passageiros o acesso Wi-Fi não "estraga" o voo e 27% dos homens e 23% das mulheres disseram que podiam ser mais produtivas a usar o tempo de voo se o acesso Wi-Fi fizesse parte do pacote standard. Já 10% dos passageiros disse que não iriam ser capazes de relaxar se soubessem que a sua caixa de emails estava à distância de um clique.
 
A pesquisa aponta para uma tendência mundial de acessibilidade mais barata ou básica aos serviços de internet, incluídos em diversos serviços e infraestruturas turísticas, como aeroportos, bares, restaurantes, hoteis, espaços públicos, etc. Recentemente, em duas viagens, uma nacional e outra internacional pude comprovar esta tendência: nos parques da Disney nos Estados Unidos, por exemplo, há várias redes gratuitos para acesso nos parques, baster ter um aparelho compatível; no interior do Maranhão, em destinos turísticos pequenos, como Carolina, pousadas que possuem diárias de R$ 40,00 reais já oferecem redes wi-fi incluída para os hospedes. E muitas pesquisas apontam que muitos hospedes optam por estabelecimentos que possuem acesso a internet. 
Postar um comentário