Benvindo, Bienvenido, Welcome, Bienvenue, Wilkomen, 歓迎, приветствовать, الترحيب, 歡迎, Benvenuto, Καλώς ήρθες

sábado, 15 de setembro de 2012

Energia elétrica é desafio na prestação de serviço!

A infraestrutura das localidades turísticas precisa estar compatível com a oferta desejada para a demanda pretendida de visitantes, quando esta não acompanha o crescimento da oferta, a qualidade percebida do produto local começa a declinar. Entre estas infraestruturas esta o fornecimento de energia elétrica. A Amazônica, devido aos rios caudalosos, é uma região naturalmente propensa ao fornecimento de energia elétrica, tanto é que a maior hidroelétrica totalmente brasileira esta no estado do Pará, a de Tucuruí; além de Belo Monte, também no Pará; Jirau e Santo Antônio, no estado de Rondônia; as últimas três em construção.
 
Para uma população estimada em 20 milhões de pessoas (Amazônia Brasileira), a oferta enérgica da Amazônia é excessiva e abastece o mercado brasileiro, além dos grandes projetos de mineração pelo interior do Pará e Maranhão.
 
Turisticamente, contudo, muitos destinos amazônicos tem sofrido com a falta de energia e prejudicado parte dos fluxos turísticos, não inibindo, mas tornando baixa a qualidade do produto. Afinal ninguém quer passar a noite com calor ou comer alimentos frios porque faltou luz naquele final de semana que você planejou há mais de três meses e gastou milhares de reais no pacote. Todavia, é justamente isso que tem acontecido em algumas localidades turísticas pelo interior do Pará e mesmo no centro de grandes cidades como Belém.
 
Recentemente, durante alguns dos receptivos que fiz em Belém, visitantes reclamaram da falta de luz em uma pousada na Ilha de Marajó; em Alter do Chão, Santarém; num hotel no centro de Belém; numa casa de recepção na Presidente Vargas e num escritório na área central da cidade. São casos que se somam e mostram que o fornecimento de energia nestas localidades esta aquem de atender os próprios moradores, quanto mais os empreendimentos turísticos. Um dos visitantes fez a seguinte pergunta "estes empreendimentos não seriam obrigados a ter gerador de energia elétrica, pois passamos a noite com calor e mosquito". Respondi que se o fornecimento elétrico é regular e constante, não há esta necessidade, o que de certa forma aumentaria o custo do empreendimento.
 
O fato é que o crescimento do consumo não tem sido acompanhado pelos investimentos na melhora da rede elétrica destas localidades, trazendo prejuídos incalculáveis para os empreendimentos e tornando a estada de nossos visitantes menos agradável. Afinal, sem energia, uma agência não pode emitir bilhetes, vender pacotes; um hotel não pode receber adequadamente seus hospedes; e um guia não pode visitar determinadas atrações com seus grupos.   
Postar um comentário