Benvindo, Bienvenido, Welcome, Bienvenue, Wilkomen, 歓迎, приветствовать, الترحيب, 歡迎, Benvenuto, Καλώς ήρθες

terça-feira, 17 de abril de 2012

Cruzeiros: Brasil espanta investidor!

Splendour of the Seas em Montevideo.
Após tentar investir sem sucesso em terminais em Santos e Buenos Aires, a Royal Caribbean International apresentou há algumas semanas planos para construir em terminal de passageiros em Montevideo, capital do Uruguai. O projeto do terminal foi apresentado à Administração Nacional de Portos, e ao Minisério de Turismo do país platino, que já estaria estudando a proposta. Estão previstos nele, uma área exclusiva para a atracação de navios de cruzeiros, um novo terminal, provavelmente exclusivo para navios do grupo Royal Caribbean, e um hotel em um bloco adjacente.

A Royal Caribbean já havia apresentado interesse em investir no Uruguai há 8 anos, mas na época, foi dada prioridade ao porto de Santos, no Brasil, e em seguida a Buenos Aires na Argentina, sendo o Uruguai deixado como um "plano C". E por desinteresse das prefeituras das cidades envolvidas, e altos custos, os planos A e B não funcionaram.
Navios do grupo RCCL em Montevideo.
O novo terminal é planejado para ser uma base das operações da companhia na América do Sul, com embarques tanto para cruzeiros domésticos, para o público local, como para o mercado internacional. Essas funções foram nos últimos anos exercidas pelo porto de Santos, que desde 2007 serve de base para o Splendour of the Seas, e mais recentemente para o Vision of the Seas, e que também já realizou os embarques dos cruzeiros pela América do Sul do Mariner e do Radiance of the Seas, além de navios do grupo como o Azamara Journey, o Celebrity Infinity, e os navios da Pullmantur e Island, em diferentes temporadas.

O investimento total em Montevideo poderia chegar aos 40 milhões de dólares, e no Uruguai poderia ser ainda maior, já que a Royal Caribbean também estuda um projeto ainda maior, de construção de um pequeno porto para navios de cruzeiro em Punta Del Este, onde atualmente os navios fundeiam e realizam o trânsito de seus passageiros por tenders.

Fonte: http://worldcruises1.blogspot.com.br/

Comentários: Lembrei-me do tão falado custo Brasil. Estamos espantando investimentos, possivelmente, perdemos 40 milhões de reais que melhorariam significativamente as operações portuárias em Santos. O caso amazônico é ainda mais emblemático, mesmo com os governos estaduais se aproveitando dos fluxos turísticos internacionais de cruzeiros, a estrutura para receber estas operações continuam precárias.
Postar um comentário