Benvindo, Bienvenido, Welcome, Bienvenue, Wilkomen, 歓迎, приветствовать, الترحيب, 歡迎, Benvenuto, Καλώς ήρθες

sábado, 27 de agosto de 2011

Tendências do Turismo: Passe Ilimato!

Para fazer pensar um pouco. Pode ser que, no modelo de negócios que as companhias aéreas atuam no Brasil, um programa assim não seja implantado, mas que é uma ideia fantástica para os passageiros, isso com certeza é. A JetBlue anunciou o início de um novo formato de venda de bilhetes: trata-se de um passe que pode ser adquirido e que embute uma quantidade ilimitada de viagens durante um certo período. É o mesmo princípio aplicado nas cidades europeias para quem quer se deslocar no transporte público e que, como pude comprovar, é extremamente vantajoso e prático.

Num primeiro momento, a JetBlue terá o passe ilimitado - validade de três meses - entre Boston, Los Angeles e Long Beach. Fazendo uma analogia ao mercado brasileiro, fico pensando em pessoas como eu, que já vivi em trãnsito semanal, morando em uma cidade e trabalhando em outra. Seria uma vantagem para a empresa - que economizaria comprando o deslocamento por preços mais em conta - e para o passageiro, que não precisaria marcar o bilhete a todo momento. As empresas talvez tivessem um ganho menor por terem, entre os assentos ocupados em cada voo, alguns cujo custo ficou mais baixo, ou seja, rentabilidade menor. Mas a médio e longo prazos isso acabaria se revertendo em mais pessoal a bordo, especialmente nas viagens corporativas.

 
Comentários: em si, não é uma tendência, mas uma retomada de formas de comercialização para passageiros frequentes. Existem produtos similares, como os passes internacionais, utilizados por diversas companhias na Europa, Estados Unidos e Brasil, muito utilizados por passageiros internacionais em visitas a estes locais. Destinos com grandes distâncias a serem cobertas, como entre o Nordeste e Norte do Brasil, por exemplo, onde a viagem rodoviária se torna cansatina ou mesmo impossível, no caso da Amazônia, o passe seria bem vindo. A Azul tentou implementar uma política parecida, mas abandonou esse tipo de bilhete, por razões desconhecidas. A competitividade do setor estimula a inovação, esperamos que estas "novidades" cheguem ao Brasil e facilitem as viagens, dentro da Amazônia.
Postar um comentário